Agricultura familiar teve um ano de grandes conquistas em 2021

0

 

Para a agricultura familiar em Marituba,   2021 foi um ano de plantio e colheita de bons frutos. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (SEDAP) foi responsável por um ano de reorganização deste setor da economia que culminou com a criação da primeira cooperativa que captou a maior fatia na licitação para o fornecimento de produtos oriundos da agricultura familiar ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Dos 9 milhões licitados, a maior fatia ficou com os agricultores de  Marituba, ou seja, o valor de 3.014.091,41,  um terço do total. O primeiro pedido, já foi feito neste início de ano, no valor de 695 mil. Um ganho real para agricultura no município.

De acordo com o gerente de Agricultura Familiar da Diretoria de Agricultura, Aquicultura e Pesca da Sedap,  Abraão Braga, ao assumir, a atual gestão encontrou apenas uma listagem com 30 nomes e os contatos telefônicos destes produtores. Esse era todo o banco de dados sobre a agricultura em Marituba.

“Hoje nós temos um banco de dados com 160 agricultores familiares, constando a localização de cada um e o quantitativo de produção de cada produtor”, destaca o gerente.

De ponta a ponta do município, da entrada da Alça Viária até o Canaã, a estimativa é que mais 50 famílias ainda serão cadastradas, passando a uma média de 210 famílias de agricultores no município.

Com posse desses dados, no final de setembro, a Cooperativa dos Agricultores Familiares de Marituba (COOPMARITUBA) foi criada oficialmente com sede provisória na sede da Sedap e formada por 30 famílias de pequenos produtores.

Após ser criada, a cooperativa logo entrou para pleitear a licitação para o fornecimento de produtos oriundos da agricultura familiar ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

“Foi uma coisa tão rápida e tão grandiosa que os agricultores ainda não estavam preparados. Uma cooperação técnica com outras cooperativas fez com que o pedido fosse atendido. Em apenas três meses já foram várias conquistas ”, destacou o gerente.

A aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar para o PNAE contribui para ofertar uma alimentação saudável e adequada, respeitar a cultura e as tradições locais, formar hábitos alimentares saudáveis, alcançar o desenvolvimento sustentável e adquirir gêneros alimentícios diversificados, produzidos.

O programa do governo federal é estabelecido pela Lei nº11. 947, que garante que 30% dos recursos para a merenda escolar sejam destinados à compra de gêneros alimentícios produzidos pela agricultura familiar.

Podem participar do PNAE, os agricultores familiares e/ou suas organizações econômicas que possuam a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

Wilson Lima é um agricultor cooperado

Agricultura feita por mulheres com vocação para a horticultura – A agricultura familiar em Marituba tem como característica ser,  em sua maior parte, formada por mulheres. É o caso da agricultora Cleonice Queiros, 47 anos, da Comunidade Sagrada Família, no Uriboca.

Há 40 anos ela atua na agricultura familiar, herança que vem de seus avós. Foi através da agricultura familiar que ela sustentou seus quatro filhos, cultivando hortaliças como couve, caruru, jambu, cheiro verde, mastruz e chicória.

A criação da COOPMARITUBA tem trazido boas perspectivas para a agricultora. “Fornecer produtos para a alimentação escolar é muito bom. Organizados nós temos mais força”, comentou Cleonice.

Cleonice Queiroz, da Sagrada Família: unidos os agricultores são mais fortes

Outra característica da agricultura familiar é a vocação natural para a produção da horticultura. Nesta classificação está a produção de verduras, legumes e vários tipos de hortaliças.

Com agricultor Ilson Cunha Lima, 55 anos, também da comunidade Sagrada Família, no bairro Uriboca é assim.

Ele também optou pelo cooperativismo. “ Estou otimista sobre os resultados. Vamos ver até onde vamos conseguir chegar”, comentou.

Para o secretário de Desenvolvimento da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (SEDAP), Yuri Bastos, o ano de 2021 foi um ano de reconstrução da agricultura no município.

“Realizamos um levantamento do que nós tínhamos como área produtiva. Fizemos um levantamento da nossa capacidade de produção, descobertas de novos agricultores e a retomada da produção agrícola por parte de antigos produtores”, explicou

Uma das maiores vitórias deste ano, segundo o secretário, foi a criação da C00PMARITUBA . “Marituba agora está dentro da licitação da merenda escolar do PNAE e em breve também integrará o programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Nossos agricultores estavam desacreditados, sem suporte, sem assistencialismo técnico e hoje nós conseguimos atendê-los e realizar parcerias para a capacitação. Formamos o alicerce de uma nova agricultura Marituba em 2021”, concluiu.

 

Da Redação  Comus 

Fotos: Ary Brito 

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade