Produtores rurais do bairro Riacho Doce, em Marituba, receberam, na manha desta sexta-feira (20) o Cadastro Ambiental Rural (CAR) de suas propriedades. A entrega foi realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMMAS) e Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (SEDAP).

Inicialmente foram entregues 11 Cadastros Ambiental Rural (CAR)

O Cadastro Ambiental Rural é um registro público eletrônico nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais, compondo base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental.

A coordenadora do Laboratório de Georreferenciamento da Semmas, Jaqueline Torres, explica que o documento é a porta de entrada para a regularização ambiental. “É um documento de extrema importância para que o produtor consiga a regularização, incentivo agrícola, financiamento e até dar entrada em sua aposentadoria”, explicou.

O CAR facilita qualquer demanda de licença ambiental que o proprietário rural tiver, pois para comprovar que a propriedade está regularizada é necessário o CAR.

O casal Sidney Souza Damasceno e Cláudia Gomes Pereira são agricultores e receberam o CAR na manha desta sexta-feira. Eles criam e comercializam codornas em seu terreno localizado no Riacho Doce.

Sidney e Cláudia são produtores de codornas do Riacho Doce

” Estamos no começo da produção e este documento vem favorecer para que possamos levar a frente o nosso negócio e expandir nossa produção”, disse Sidney.

O secretário da Sedap, Yuri Bastos, destaca que o bairro Riacho Doce é o “coração” da agricultura familiar em Marituba, pois é na localidade que se localiza maior parte dos pequenos agricultores do município, entre aquicultores e piscicultores.

Yuri destaca que para fortalecer a agricultura no Riacho Doce, a Sedap realiza o assistencialismo para levar até os agricultores o acesso aos serviços de direito do cidadão para combater o ciclo de vulnerabilidade social.

“Nós realizamos o levantamento das necessidades e encaminhamos para as outras secretarias como a Semasc e a Semmas. Desta forma realizamos o levantamento das famílias que não possuíam o Cadastro Ambiental Rural e que estão tendo a oportunidade de receber o documento nesta ocasião”, ressaltou o titular da Sedap.

Após anos sem o cadastro efetivo no município e após ajustes burocráticos, a Semmas  finalizou o tramite da documentação com o objetivo de fomentar a agricultura no município.

Da Redação Comus

Fotos: Ary Brito

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade