A Prefeitura de Marituba, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), realizou nesta manhã (14), o Primeiro Encontro de Líderes de Religiões Afrodescendentes de Marituba, na Câmara Municipal de Marituba. O encontro teve como objetivo discutir sobre atos de intolerância religiosa, identificar ações e métodos capazes de amenizar a desigualdade social e racial existente, discutir políticas públicas voltadas para as comunidades afrodescendentes, entre outros, e visa ainda a não segregação de religiões.

Líderes de religiões de matrizes africanas

As práticas religiosas há muito vêm sendo uma preocupação na sociedade brasileira. A luta contra a intolerância é incorporada, de maneira gradual, se tornando cada vez mais constante, tanto pela sociedade civil, como por organizações não governamentais e movimento sociais.

Durante o encontro foi debatido ainda o preconceito contra as religiões afrodescendentes que muitas vezes está relacionado à falta de conhecimento sobre o assunto.

O Presidente da Comissão de Defesa e Promoção da Igualdade Étnico-Racial da OAB-PA, Peter Paulo Martins, comentou sobre a intolerância religiosa e formas estratégicas de combate a ela. “A intolerância é na verdade um dos tipos de racismo. O Brasil, historicamente desde a sua formação é um país racista e esse racismo estrutural atua de várias formas. O racismo religioso é uma delas”, disse.

Peter Paulo

“O racismo, além de ser algo imoral é um crime porque atenta contra o direito, imagem, raça, cor, etnia e credo religioso das pessoas. No Brasil, a maioria dos casos de racismo religioso é praticado contra as religiões de matrizes africanas e precisam ser combatidas”, completou.

A intolerância religiosa pode ser denunciada pelo disque 100.

 

Da Redação Comus

Fotos: Ary Brito

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade